Pages

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Encontro de Violeiros, choro, espetáculos Infantis e de dança estão na agenda cultural

 Fim de semana é sinônimo de atrações culturais em Natal para toda a família e em diversas regiões da cidade. Com o incentivo da Prefeitura do Natal, via Lei Djalma Maranhão, o público poderá apreciar shows, espetáculos de dança, infantis, arte urbana e até desafio de violeiros. 

O Programa Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura é hoje o principal mecanismo de produção cultural em Natal. Graças à renúncia anual de impostos municipais (ISS e IPTU), a cadeia produtiva da cultura em Natal produz os mais destacados projetos nas mais variadas áreas.

Conheça a agenda para sábado (19) e domingo (20) pela Lei Djalma Maranhão e ações da Secretaria de Cultura de Natal (Secult) e Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte).

 SEXTA (18) - “ENCONTRO DE GERAÇÕES” DESAFIO DE VIOLEIROS - PÁTIO DA SECULT
Três gerações de violeiros estarão se apresentando no pátio da Secult/Funcarte a partir das 19h. O consagrado Pedro Bandeira e os jovens Felipe Pereira e Helânio Moreira sobem ao palco para mostrar a versatilidade e criatividade da viola nordestina. O show, inclusive, vai virar um DVD para o registro deste encontro inédito. Entrada franca. Início: 19h

SÁBADO (19) “BATALHA DO VINHO” - ESPAÇO JESIEL FIGUEIREDO
No Espaço Cultural Jesiel Figueiredo (Gramoré), a partir das 19h, tem mais edição da “Batalha do Vinho”. Trata-se de um duelo entre Mcs e Djs que reúne diversas tribos de artes urbanas na Zona Norte de Natal. Desde o hip hop, rap, passando pela sonoridade regional, grafitti e skate. Início: 19h. Entrada franca.

SÁBADO (19) - DANÇANDO NAS DUNAS - PARQUE DAS DUNAS
O Grupo de Dança da UFRN é a atração deste sábado. Com repertório bastante variado e voltado à dança contemporânea, também optando por não excluir outras referências estéticas e técnicas. Nos últimos anos o Grupo produziu, entre outros, os espetáculos COPYRIGHT, AFINS, EGO, BALÉ ESTÂNCIA (a convite da Orquestra Sinfônica da UFRN), e recentemente desenvolveu residência artística nas cidades de Norway e Portland nos Estados Unidos. Início: 16h30. Entrada franca.

DOMINGO (20) - BOSQUE ENCENA - PARQUE DAS DUNAS
As princesas clássicas resolveram marcar um encontro para apresentar e coroar a mais nova princesa do Reino Encantado. Moana não é bem uma "princesa"... Mais conhecida como "A Filha do Chefe", ela chegou para conquistar crianças e adultos. Então que tal relembrar um pouco da história das princesas clássicas e conhecer a mais nova "Princesa da Praia"?  Início: 10h. Entrada franca.

DOMINGO (20) – SOM DA MATA - PARQUE DAS DUNAS
O regional Choro da Terra é a atração deste domingo do Som da Mata. O grupo apresenta um repertório dedicado aos grandes compositores da música popular como: Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, K-Ximbinho, Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo, dentre outros. Início: 16h30. Entrada franca.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Projeto “Pintando e bordando o 7” leva terapia e geração de renda para usuários da UBS Jiqui


 Promover momentos de terapia e lazer e uma forma de geração de renda. Com esse intuito, foi criado o grupo “Pintando e bordando o 7”, desenvolvido pela unidade básica de saúde do Jiqui, no Distrito Sanitário Sul, com atividades de pintura e bordado para idosos, donas de casas e pessoas que queiram participar de aulas de artesanato.

A diretora da UBS Jiqui, Keyla Fernanda, explicou que as atividades do grupo são desenvolvidas em parceria com a Associação Ana Lívia, que promove cursos gratuitos para os moradores do conjunto. Com aulas às segundas e às quintas-feiras, o grupo tem levado descontração, leveza e beleza para a vida de seus participantes.

“O grupo é formado por usuários hipertensos, idosos e donas de casa que procuram uma atividade de lazer, um momento de terapia e também algo que possa gerar uma renda extra para auxiliar nas despesas de casa. São pessoas que geralmente têm tempo ocioso ou que passam suas vidas cuidando da família, dos netos e veem nesse momento a oportunidade de fazerem algo para seu próprio bem-estar”.

Ela afirmou ainda que, para muitos participantes, os dias de aulas são os únicos dias em que eles podem sair de casa para socializar com pessoas que não sejam da sua família, conversarem e se divertirem. “Muitos têm histórico de depressão, baixa autoestima e veem nisso a oportunidade de se dedicarem a elas mesmas e a algo que promova seu bem-estar e lazer. É muito gratificante fazer parte disso”.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Antônio Basílio e Alexandrino de Alencar recebem operação tapa buracos

Arquivo Semov
As avenidas Antônio Basílio, em Dix-Sept Rosado, e Alexandrino de Alencar, Lagoa Seca, recebem nesta quarta-feira (16), os serviços da operação tapa buraco, da Prefeitura do Natal, executados pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov).

De acordo com Tomaz Neto, titular da Semov, as equipes do setor de Conservação estão com aplicação de asfalto em trechos das avenidas citadas e também na Hermes da Fonseca, no Tirol, Salgado Filho, em Lagoa Nova, Felizardo Moura, no Bairro Nordeste, e Itapetinga, no Santarém. “Todas essas avenidas são grandes corredores de trânsito na cidade, nas mais diferentes regiões, e por isso, estamos com o serviço nesta semana”, ressaltou o secretário de Obras.

Nesta quarta-feira, as equipes estão também com manutenção da rede de drenagem nas ruas Professor Bilac, Cidade Jardim, e Avenidas Norton Chaves, em Nova Descoberta, e Itapetinga, no Santarém. “E também estamos com o serviço na Dr. José Gonçalves, em Lagoa Nova, e rua Tenente Souza, no Pajuçara, com desobstrução de galeria”, explicou Tomaz Neto.

Felipe Camarão
Os serviços desta quarta-feira serão finalizados com manutenção de vias pavimentadas com paralelepípedos nas ruas Santa Veronica e Santa Cristina, em Felipe Camarão. “E fechamos na rua dos Caboclinhos, em Nova Natal”, finalizou o secretário Tomaz Neto.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Campanha de valorização da faixa de pedestre é intensificada

A ação educativa prioriza centros comerciais e corredores de ônibus e faz parte da série de ações que valoriza e garante segurança ao pedestre no trânsito da cidade. Por meio da atuação dos educadores de trânsito, motoristas, motociclistas e os próprios pedestres são conscientizados sobre a importância da travessia na faixa.

De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), o principal objetivo da ação é reduzir o número de acidentes envolvendo pedestres na cidade. Ainda segundo a secretaria as principais infrações cometidas pelos motoristas em relação aos pedestres é o desrespeito quando ele já iniciou a travessia da faixa, quando ele usa a faixa em ponto sem semáforos ou não concluiu sua travessia numa conversão.

Para conscientizar contra esses erros, o cronograma da ação educativa alusiva ao pedestre e o respeito a faixa prevê apresentação dos educadores de trânsito nas seguintes datas e locais:

Dia 15/08
* 15h30 – Faixa de Pedestre da Av. Rio Branco com a João Pessoa – Centro
Dia 16/08
* 06h e 08h – Faixa de Pedestre da Rua Fonseca e Silva (na frente do Cemitério do Alecrim)
* 15h30 e 16h30 – faixa de Pedestre da Av. Coronel Estevam (em frente ao Bradesco)
Dia 17/08
* 06h, 8h30, 15h30 e 17h – Faixa de Pedestre Rua Coronel José Bernardo ao lado do Sindicato dos Motoristas no Viaduto do Baldo.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Uma semana dedicada à tecnologia e inovação para cidades inteligentes e humanas


A semana que passou colocou Natal no foco do debate sobre inovação tecnológica com a realização do IEEE Summer School on Smart Cities (S3C-2017), evento internacional que aconteceu pela primeira vez no Brasil. O evento foi promovido e aconteceu no Instituto Metrópole Digital (UFRN) com palestras e estudos de problemas da cidade do Natal, apontados pela prefeitura na área de Saúde, Educação, Urbanismo e Meio ambiente, Assistência Social, Segurança Púbica, Mobilidade Urbana e Limpeza Pública.

Os "Desafios da Cidade" foram objetos de estudo dos grupos de trabalho, que deveriam apontar soluções tecnológicas como solução. Ao final, a comissão cientifica do evento elegeu três grupos: Segurança, na categoria "empoderamento do cidadão"; Urbanismo e Meio-Ambiente, que tratou da revitalização do Centro Histórico, na categoria "engajamento da cidade"; Educação, categorizado em "visualização de dados".

Os 3 trabalhos selecionados serão continuados pelo IMD dentro do Programa Natal Cidade Inteligente e Humana e Smart Metropolis, parceria que a Prefeitura do Natal mantém com aquele instituto tecnológico sob a coordenação da Secretaria Municipal de Planejamento. Segundo a diretora do Departamento de Desenvolvimento Socioeconômico da Sempla, Irani Santos, há possibilidades dos demais temas também serem abraçados pelo IMD.

"O evento foi muito produtivo e apesar de ser um evento tecnológico teve um olhar muito voltado para o social", avaliou Irani Santos. Para ela "nesses cinco dias de evento, fizemos o exercício que se faz no dia-a-dia com o Instituto Metrópole Digital (IMD) dentro do nosso Programa Natal Cidade Inteligente e Humana, buscando soluções para os problemas vivenciados pela cidade. Mas tivemos uma visão ampliada pelos participantes e, principalmente, pelos palestrantes de nível internacional, verdadeiras autoridades sobre inovação e tecnologia". 

Diversos técnicos da Prefeitura do Natal participam do IEEE Summer School on Smart Cities (S3C-2017). Natal integra a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas e a Rede de Human Smart Cities e já tem uma lei possibilitando a criação de Parque Tecnológico. 

Palestrantes e palestras: 
Gilles Betis, engenheiro e CEO da OrbiCité (França), "Uma perspectiva prática sobre design inovador para cidades inteligentes";  Derrick de Kerckhove, professor da University of Toronto (Canadá) / Università degli studi di Napoli Federico II (Itália) / Universitat Oberta de Catalunya (Espanha),"Felicidade urbana, modos e meios";
Aaron Deacon, professor associado de Engenharia na Thayer School of Engineering at Dartmouth (EUA), “Estudo de caso de Kansas City"; Rosaldo Rossetti, da Universidade do Porto (Portuga), abordou o tema "Mobilidade inteligente: problemas e oportunidades". Álvaro de Oliveira, coordenador da Rede de Human Smart Cities e professor da UFRN e da Aalto University (Finlândia), " Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas"
Joel Rodrigues, do Instituto Nacional de Telecomunicações (Brasil, “Internet das coisas em cidades inteligentes: desafios e perspectivas". 

Amro M. Farid, professor Doutor de Engenharia na Thayer School of Engineering at Dartmouth (EUA), "Estado da arte e melhores práticas em integração de energia renovável e resposta à demanda";  José Roberto de Marca, membro-titular do Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia (CCT) e membro do Conselho Consultivo do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, "Um futuro inteligente: desafios e oportunidades"; Kiev Gama, Doutor em Ciência da Computação pela Université Joseph-Fourier/Grenoble-I (França), "Explorando o potencial da competição de aplicativos civis"; Nelson Fonseca, Doutor em Engenharia da Computação pela University of Southern California (EUA), "Computação em nuvem para cidades inteligentes".

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Trilhas são atrações do Parque da Cidade na Semana do Meio Ambiente de Natal


O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte possui atualmente cerca de 5,2 km de trilhas, divididos em quatro percursos com características e distâncias diferentes, adequados para todos os públicos, desde crianças e idosos, até adultos acostumados com trechos longos e dificuldades maiores de terreno. As viagens guiadas são realizadas aos sábados, mas durante a Semana do Meio Ambiente, promovida pela Prefeitura de Natal, os grupos estão sendo formados diariamente, a partir das 8h. Para conhecer uma das trilhas, esta semana, basta comparecer ao Parque e procurar o setor de Manejo, até este sábado (10). O telefone para informações é o (84) 3232-3207.

As trilhas atualmente em operação são a da Bromélia, Preá, Embaúba e Vanilla. O Parque está sinalizando outras duas áreas que serão utilizadas por trilheiros. A Trilha do Horto, que terá próximo de 2.500m e a Trilha do Centro de Mudas, própria para crianças e que leva os “pequenos” até o novo viveiro de mudas do Parque. Hoje o número de pessoas que realiza o percurso mensalmente é próximo de 100.

“É nas trilhas que o visitante tem a possibilidade de se aproximar mais ainda das belezas do Parque. No solo não pavimentado eles podem ver rastros de animais, encontrar tocas de aves como as corujas buraqueiras, cobras, entre outros. É a oportunidade de ver a fauna, ou indícios da presença dela, além do grau de dificuldade maior que agrada aos trilheiros”, comentou Uílton Magno, chefe do setor de manejo do Parque.

Todas as trilhas são sinalizadas, com as áreas de risco possuindo estruturas de corrimão, feitas com carnaúbas. As visitas são acompanhadas com guias e a segurança é feita pela Guarda Ambiental. Além disso, todo processo de reserva entre os 20 lugares disponíveis (número determinado pelo plano de manejo para garantir a preservação) requer o preenchimento de um Termo de Conhecimento de Risco, de uma Ficha de Inscrição e a assinatura do Livro de Trilhas.

“Esse cuidado é necessário porque essa é uma área da natureza, com a presença de animais peçomhentos, não é um lugar qualquer. Existe a presença dos guias para minimizar os riscos, mas ele existe. A Ficha de Inscrição é um complemento desse procedimento, vez que nela anotamos informações para caso seja necessário informar alguém sobre algum ocorrido, ou até mesmo às equipes de primeiros socorros acionadas via SAMU”, explicou o chefe do setor de manejo. Já o Livro de Registro informa sobre quem realmente entrou na trilha, pois o trilheiro pode preencher os documentos anteriores, mas acabar desistindo antes de iniciar o percurso. “Assim controlamos quem foi e quem voltou das trilhas”, justifica Uílton.

As visitas guiadas são acompanhadas pelo técnico agrícola Delmo Wílson e pelo auxiliar de
campo Gailer Stânio, auxiliar de campo. Experientes e apaixonados pelo Parque, eles contam com orgulho que fizeram com as próprias mãos, várias das estruturas encontradas no local. Uma delas é a pequena mostra de plantas existentes por trás do hall do Parque. “Aqui as pessoas com dificuldade de mobilidade podem ter uma amostra das plantas e animais que verão na mata”, diz Stânio. “Eu mesmo confeccionei esses animais em madeira. As crianças e as mulheres adoram”, conta Wílson.

São eles quem explicam as características particulares de cada trilha, inclusive sugerindo quais seriam as mais adequadas para cada nível de preparo físico dos trilheiros. “As menores podem ser percorridas até por idosos e crianças, como por exemplo a da Bromélia, que só tem 600 metros (ida e volta). Já a Vanilla é reservada para trilheiros mais preparados pois além da distância de quase 2km (ida e volta) tem no trajeto subidas e descidas em dunas, o que dificulta muito”, explica Stânio.

A reportagem da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) percorreu a Trilha do Preá. Logo na entrada é possível encontrar a placa com a indicação das distâncias de cada uma das trilhas, bem como o pórtico de identificação.

Poucos metros depois, a mata fecha e o contato com a natureza é imediato. São diversos exemplares de Cajueiros, Mangabeiras, Angélicas, Camboins, Ubaias-doces e Cajarana. Além diso, é posível ouvir algumas espécies de aves e encontrar formigas dos mais variados tamanhos. “De vez em quando encontramos as Tocandiras, que impressionam pelo seu tamanho. Além disso temos os saguis que aparecem para comer as frutinhas do lugar”, diz Magno.

As bifurcações estão sinalizadas em Carnaúba, assim como corrimãos instalados em locais com barrancos, para evitar acidentes. Um local de descanso foi preparado especialmente sob a sombra preguiçosa do pé de Cajarana.

Ao fim do percurso de pouco mais de 1.200 metros, o trilheiro retorna pela área pavimentada e pode descansar e repor os líquidos na área de descanso, que possui uma pequena exposição com a fauna e flora do Paque da Cidade.

“Estamos sempre de braços abertos a todos os visitantes e principalmente para os trilheiros, pois uma Unidade de Proteção Integral, como é o caso do Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte possui regras e objetivos como: preservação ambiental, educação ambiental, turismo ecológico e pesquisa científica. Dessa forma, aqueles que fazem nossas trilhas só o fazem depois de conhecer a regras e por isso já tem a noção da preservação, automaticamente estão fazendo parte do processo de educação e com certeza se inserem na questão do turismo ecológico. Ou seja, é um visitante que pode viver 100% da experiência do Parque”, conclui o chefe do setor de manejo, Uílton Magno.

AS TRILHAS:

Bromélia – 600m
Destaca-se pela presença de algumas espécies da flora como orquídeas, bromélias entre outros. Ao percorrer a Bromélia, percebe-se a importância das dunas para a alimentação do aquífero da cidade. A trilha também proporciona a compreensão da origem do solo a partir da decomposição das folhas, arbustos e árvores, formando a serapilheira. Possui baixa variação topográfica, pequeno percurso. Ideal para crianças, idosos e gestantes em boas condições de saúde.

Preá – 1.200m
O seu trecho inicial coincide com aproximadamente 140m de parte da trilha das Bromélia. Não apresenta muita variação topográfica, pois o solo apresenta-se aplainado com trechos em piçarra em sua extensão até chegar à trilha pavimentada “Por do Sol”. A vegetação varia entre espécies da Restinga Arbustiva Esparsa e Densa e áreas se vegetação, em uma paisagem belíssima de dunas e vales dunares. Ideal para crianças, jovens, adultos e idosos em boas condições de saúde.

Embaúba – 1.600m
O trecho inicial coincide com aproximadamente 140m de parte da Trilha da Bromélia e 450m da Trilha do Preá. Apresenta importante porção de transição vegetativa entre Restinga Densa e Floresta Estacional Semidecidual. Longe da urbanização, é propícia para instrução, educação ambiental, observação de pássaros, árvores e reflexão espiritual. O público-alvo ideal são jovens, adultos e idosos em boas condições de saúde.

Vanila – 1.860m
Destaca-se pela presença de três tipos vegetacionais: Floresta Estacional Semidecidual, Restinga Arbustiva Esparsa e Densa. Ao longo do percurso, o visitante poderá observar várias espécies da Flora, como por exemplo a orquídea que dá o nome a trilha (Vanilla bahiana Hoehne). A trilha também proporciona belíssimas imagens dos vales interdunares, além da possibilidade de observação de aves nativas. Ideal para jovens, adultos e idosos com boas condições de saúde.




domingo, 4 de junho de 2017

Centro de Produção de Mudas da Mata Atlântica será inaugurado no Parque da Cidade


Visando cumprir os objetivos da Unidade de Conservação, a Equipe Técnica do Parque Municipal da Cidade do Natal Dom Nivaldo Monte transformou o local onde restavam as instalações do seu antigo canteiro de obras em um espaço favorável à implantação e operação de um viveiro de mudas, que será inaugurado nesta segunda-feira (5), na solenidade de abertura da Semana do Meio Ambiente, a partir das 9h.

A existência de áreas degradadas dentro dos limites do Parque e no seu entorno e a pouca disponibilidade de mudas selecionadas de vegetação nativa têm sido os principais desafios para as ações de manejo ambiental da unidade de conservação. Diante desta situação, o projeto permitiu a viabilização de uma estrutura física para a produção de mudas nativas de mata atlântica, a serem introduzidas dentro do próprio Parque da Cidade, conforme orientações técnicas e Plano de Manejo da área.



Localizado na Zona de Proteção Ambiental 1 (ZPA-1) estabelecida pelo Plano diretor de Natal, o Parque da Cidade une duas regiões administrativas (Sul e Oeste), abrange 13 bairros no seu entorno, com dois acessos públicos, (um pelo lado Sul -Avenida Prefeito Omar O'Grady - Candelária) e outro pelo lado Oeste - Rua Santo Amaro – Cidade Nova). A unidade de conservação possui uma área de aproximadamente 150 hectares que tem a importância de conservar os recursos naturais, com destaque para a proteção do manancial de água subterrâneo, apontado por especialistas como um dos mais importantes de Natal. Os tipos de vegetação identificados nessa região correspondem a três formações naturais: a vegetação de tabuleiro, a mata atlântica e a vegetação de duna.

Antes

A produção de mudas em parques e demais áreas de preservação é de fundamental importância. O plano de manejo da ZPA-1 alerta inclusive a sua necessidade, diante da existência de áreas degradadas passíveis de recuperação. Atualmente o principal uso das mudas nativas está voltado à recuperação e restauração de áreas degradadas e reflorestamento, tanto em áreas urbanas quanto rurais e, em menor escala, utilizam-se mudas nativas para ornamentação e arborização de espaços urbanos. Para que estas mudas atinjam um padrão de alta qualidade é preciso o desenvolvimento de pesquisas na área de produção e no ciclo de produção, de forma correta, com baixo custo, e com mudas que apresentem parâmetros morfológicos e fisiológicos adequados, para que as mesmas sobrevivam após plantio.

Depois
Os equipamentos (viveiro de mudas, salas de apoio, vias delimitadas e áreas irrigadas) abrangem uma área de aproximadamente 500m² e foram elaborados dentro de uma proposta sustentável, com a utilização de metodologias simplificadas de construção, sendo grande parte da matéria-prima destinada à sua estrutura proveniente de doações, contrapartidas, apreensões legais, além do reuso de materiais disponíveis no Parque, como troncos de carnaúba e sobras diversas do canteiro de obras original.

O Centro de Produção de Mudas de Espécimes da Mata Atlântica - Parque Natural Municipal da Cidade do Natal Dom Nivaldo Monte foi totalmente implantado pela própria equipe do seu quadro efetivo, composta por Biólogos, Ecólogos, Tecnólogo Ambiental, Técnico Agrícola, Engenheiro Civil, Economista, Auxiliares de Campo dentre outros. “Esta é uma realização de grande alcance socioambiental que resultou em “custo zero” para a Prefeitura Municipal de Natal, que obteve uma economia de aproximadamente R$ 200.000,00 (Duzentos mil reais) para os cofres públicos contando com doações e parcerias. Com isso, nós mostramos que com boas ideias, com boa vontade e uma equipe comprometida com o servir ao público, é possível fazer o melhor para o contribuinte”, assinala o gestor do Parque da Cidade, Carlos da Hora.

Com o novo equipamento, a expectativa é que haja uma produção de mais de 6.300 mudas a cada 12 meses, além da criação de um espaço destinado ao desenvolvimento de pesquisas científicas e ações de educação ambiental, onde grupos de estudantes poderão visitá-lo mediante agendamento prévio. 

Fotos: Fernando Medeiros